domingo, 19 de fevereiro de 2017

A capa que deixo à entrada de minha casa...


Quantas vezes, tive um dia ou uma semana difícil. Dia após dia, ando com uma capa às costas, tem um peso enorme, bloqueia-me, mas protege-me de mostrar as minhas fraquezas e fragilidades, mostra somente o meu lado bom, simpático, responsável, profissional, corajoso e até dinâmico, metódico e organizado à sociedade.

Mas, quando chego a casa a capa fica à entrada, fico mais leve, mas as fragilidades vêm à superfície, não dá para esconder, instala-se a dor, a revolta, incompreensão, sou transparente, impotente, insegura e pouco confiante, o pior de tudo é que quem sofre é quem mais amo, quem me é mais próximo. São bombardeados com histórias, questões que não conseguem dar resposta, irritações, inquietações, são o verdadeiro saco de boxe, levam com tudo e de todas as maneiras.

É incrível como junto daqueles que amo não dá para ser outra coisa, senão eu mesma com todas as qualidades, defeitos e fragilidades.

No dia seguinte volto a vestir a capa para sair de casa, agora mais pesada porque magoei quem mais amo, com coisas que dizem respeito ao mundo e não a eles...

sábado, 4 de fevereiro de 2017

Um dos pilares...


Realmente não consigo imaginar a minha vida sem ti. Tens sido o meu grande pilar. Nunca imaginei que a tua reacção perante a minha impotência fosse esta. Não tenho como agradecer-te, não sei como retribuir-te meu amor. Todos os "obrigados" que eu possa repetir, parecem-me tão poucos...

Como é possível? Como foi possível, eu encontrar alguém que me ama tal como eu sou? E mesmo rabujenta, insuportável, critica, continua a fazer tudo com Amor, carinho e entusiasmo, como nunca tivesse deixado de ser bem tratado.

És o meu príncipe, que nem em sonhos me apareceu, nunca! Estou grata meu amor, estou grata a Deus por te ter colocado na minha vida. Agradeço-lhe todos os dias, mas até isso me parece tão pouco.

Amo-te assim como quem ama... Amando... Tu melhor do que ninguém ensinas-me todos os dias a Amar. Eu não saberia o que era o amor se tu não me amasses... Assim, ao teu jeito... Especial...

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

sábado, 24 de dezembro de 2016

Esta noite, é a noite... :)


Meu pai, tanta coisa a acontecer no mundo, tanta coisa boa e tanta coisa má. O mundo está em guerra e nós? Nós andamos numa guerra e numa batalha interior connosco mesmos e com o mundo? Por vezes, é mesmo assim, não precisámos de armamento para provocar uma guerra. Somos os primeiros a apontar o dedo àquilo que está acontecer no mundo, mas esquecemos a guerra que travamos connosco mesmos, com o vizinho, com a família, com o colega de trabalho ou com o colega de escola.

Aquilo que está a acontecer no mundo, particularmente em Alepo, creio que não pode passar despercebido hoje.

Se bem se lembram há milhares de anos atrás havia uma família que ficou para a história da humanidade. Hoje, celebrámos o nascimento do Salvador. Mas depois disso, lembram-se do que aconteceu?  

Esta família teve der fugir porque um Rei planeava matar todos os recém nascidos. E eu pergunto: "O que é que mudou desde então?" Nada, não mudou nada!

As famílias continuam a fugir, todas à procura do mesmo. Um lugar seguro para Amar, crescer e educar. E se pensarmos e sentirmos de coração, qualquer uma daquelas famílias que está a fugir neste momento, poderia ser, nada mais, nada menos que: Maria, José e Jesus...
Se calhar a nossa visão mudaria. Muito.

Hoje, por favor, unam as vossas mãos em volta da mesa, e que o nosso Amor, misericórdia e compaixão chegue até às famílias que fogem à procura apenas de Paz. Que chegue também aos nossos familiares que partiram já deste mundo e àqueles que neste momento travam uma dura batalha dentro de si. Que todos sejamos misericordiosos ao jeito de Jesus.

Um Santo Natal para todos vós. Paz.

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

domingo, 18 de dezembro de 2016

domingo, 20 de novembro de 2016

Saudades...


Mas que ilha maravilhosa, mas que pessoas encantadoras. Têm tudo e não têm nada. A comida é boa, as praias são magnificas, mas as pessoas, ai as pessoas... :)

Deixamos-nos envolver e levar pelo espírito: "No stress" e foi tão bom! Tenho tantas saudades das pessoas do seu ritmo de vida, paira no ar a vontade de ajudar muito.

Nunca me tinha acontecido, eu não queria vir para Portugal, apetecia-me ficar mais tempo, conviver com eles, ouvir as suas histórias de vida, o clima, a água... Tudo tão bom...

Crianças livres, felizes, mas tão carentes.Todas na rua, a brincar com aqueles brinquedos que hoje ninguém liga nenhuma. O verdadeiro dia de descanso, o Domingo, as famílias vêm todas para perto do pontão, uns jogam futebol, voleibol, outros nadam na água azul céu, mergulham do pontão, filhos brincam na areia, cobrem-se de areia e quando saem, parecem panados. :) As mães põem a conversa em dia. Eu fiquei espantada com este cenário, era digno de um verdadeiro retrato de convívio. Por momentos fiquei com os pés pregados ao chão, as pernas não queriam andar. O valor que eles dão àquele dia de descanso. 

De vez em quando ainda bate aquela saudade. Que todos vocês tenham esta oportunidade de conviver bem de perto com este povo e levem tudo o que possam para lhes oferecer, eles aceitam tudo.

Chego à conclusão que o que realmente marca uma viagem são as pessoas que encontrámos, com quem convivemos e a experiência que tirámos com a sua cultura. Locais, monumentos e paisagens ficam guardados no álbum de fotografias, as pessoas ficam gravadas no coração. Cabe a cada um de nós decidir o que quer fazer com a sua viagem...

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

domingo, 6 de novembro de 2016