domingo, 19 de outubro de 2014

O meu testemunho da Festa do Idoso, organizada por nós, Juventude Inquieta

Neste dia, é inevitável não me lembrar de alguém que foi e é muito especial para mim. Quando me pediram para dar o meu testemunho, a primeira pessoa que me veio ao coração foi o meu avó.

Todos os anos, neste dia a sua memória parece que fica mais viva, mais presente.

O meu percurso de vida ainda é muito curto, mas é o suficiente para dizer àqueles que ainda tem os seus avós nesta vida, que os respeitem, absorvam todos os ensinamentos que eles trazem, acreditem que cada ruga, cada cabelo branco tem por detrás uma história para contar. E o olhar? Reparem no olhar dos vossos avós, sempre tão terno, tão amoroso, tão carinhoso. Por detrás daquele rosto de pele enrugada, estão e sempre estiveram os sorrisos, os choros, as alegrias, as tristezas e lutas de uma vida.

Eu pergunto aos netos: "Já disseram o quanto gostam, o quanto amam os vossos avós? Sabem tudo à cerca deles? O que eles eram, foram? Onde trabalhavam? Já beberam da sua sabedoria? A Sabedoria da Vida?"

Faço todas estas questões, porque eu errei para com uma única pessoa, o meu avó. O meu avó partiu e só depois é que eu acordei para a vida. Reparei que nunca lhe tinha dito o quanto o amava, nunca lhe tinha dito o quanto ele era importante para mim e que tinha muito orgulho nele.

Meu avó era um homem sábio, e sei que não soube aproveitar a sua sabedoria, na altura, tudo isso me passou ao lado, pouca coisa sabia sobre ele. Sei mais agora do que quando ele estava neste mundo.

Ainda hoje, consigo ver o olhar terno sobre mim, o meu avó alegrava-se com a minha alegria e divertimento e chorava comigo quando eu sofria. Já passaram precisamente 10 anos desde que ele partiu, e ele continua mais presente do que nunca na minha vida.

Portanto, meus caros netos, suguem os vossos avós, se ainda os tiverem neste mundo, abracem-nos, apertem-nos como senão houvesse amanhã, digam o quanto eles são importantes para vocês, recolham tudo o que eles têm de bom para vos dar.


Tudo isto, para não acontecer o que está a acontecer comigo neste momento, que estou aqui perante vocês, perante Deus a homenagear um grande homem ao qual não tive oportunidade de o fazer frente a frente. 

Tenho a certeza que ele hoje está sentado aqui connosco, como ele fez em muitas das nossas actividades, mas agora, vou dizer-lhe aquilo que não lhe disse na altura: "Obrigado por teres vindo, a tua presença aqui é muito importante para mim. Amo-te Muito."

Um comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir